Capelania Militar

» Capelania Militar

 

*Clique AQUI para baixar nosso formulário de inscrição

 

 

O sucesso de um Capelão Militar depende não somente da sua dedicação ao trabalho, mas, sobretudo do conhecimento da realidade da vida militar e o entendimento de como funciona o sistema de caserna.

Características da Profissão Militar

A vida de um militar é pautada por uma série de circunstâncias que devem ser consideradas quando estamos realizando o trabalho de capelania. Vejamos quais as principais características de um profissional militar apresentado no site do Exército Brasileiro.

a.    Risco de vida

Durante toda a sua carreira, o militar convive com risco. Seja nos treinamentos, na sua vida diária ou na guerra, a possibilidade iminente de um dano físico ou da morte é um fato permanente de sua profissão. O exercício da atividade militar, por natureza, exige o comprometimento da própria vida.

b.   Sujeição a preceitos rígidos de disciplina e hierarquia


Ao ingressar nas Forças Armadas, ou na polícia militar o militar tem de obedecer a severas normas disciplinares e a estritos princípios hierárquicos, que condicionam toda a sua vida pessoal e profissional.

c.   Dedicação exclusiva

O militar não pode exercer qualquer outra atividade profissional, o que o torna dependente de seus vencimentos, historicamente reduzidos, e dificulta o seu ingresso no mercado de trabalho, quando na inatividade.

 

d.   Disponibilidade permanente

O militar se mantém disponível para o serviço ao longo das 24 horas do dia, sem direito a reivindicar qualquer remuneração extra, compensação de qualquer ordem ou cômputo de serviço especial.

e.    Mobilidade geográfica

O militar pode ser movimentado em qualquer época do ano, para qualquer região do país, indo residir, em alguns casos, em locais inóspitos e destituídos de infra-estrutura de apoio à família. No caso da polícia militar as locomoções se limitam ao seu estado de origem.

f.    Vigor físico

As atribuições que o militar desempenha, não só por ocasião de eventuais conflitos, para os quais deve estar sempre preparado, mas, também, no tempo de paz, exigem-lhe elevado nível de saúde física e mental. O militar é submetido, durante toda a sua carreira, a periódicos exames médicos e testes de aptidão física, que condicionam a sua permanência no serviço ativo.

g.    Formação específica e aperfeiçoamento constante

O exercício da profissão militar exige uma rigorosa e diferenciada formação. Ao longo de sua vida profissional, o militar de carreira passa por um sistema de educação continuada, que lhe permite adquirir as capacitações específicas dos diversos níveis de exercício da profissão militar e realiza reciclagens periódicas para fins de atualização e manutenção dos padrões de desempenho.

h.   Proibição de participar de atividades políticas

Adendo nosso.


O militar da ativa é proibido de filiar-se a partidos e de participar de atividades políticas, especialmente as de cunho político-partidário.

i.    Proibição  de  sindicalizar-se  e  de participação  em  greves  ou  em  qualquer movimento reivindicatório

O impedimento de sindicalização advém da rígida hierarquia e disciplina, por ser inaceitável que o militar possa contrapor-se à instituição a que pertence, devendo-lhe fidelidade irrestrita. A proibição de greve decorre do papel do militar na defesa do país, interna e externa, tarefa prioritária e essencial do Estado.

j.    Restrições a direitos trabalhistas

O militar não usufrui alguns direitos trabalhistas, de caráter universal, que são assegurados aos trabalhadores, dentre os quais incluem-se:

-  remuneração do trabalho noturno superior à do trabalho diurno;

-  jornada de trabalho diário limitada a oito horas;

-  obrigatoriedade de repouso semanal remunerado; e

- remuneração de serviço extraordinário, devido a trabalho diário superior a oito horas
diárias.

k.   Vínculo com a profissão

Mesmo quando na inatividade, o militar permanece vinculado à sua profissão. Os militares na inatividade, quando não reformados, constituem a "reserva" de 1a linha das Forças Armadas, devendo se manter prontos para eventuais convocações e retorno ao serviço ativo, conforme prevê a lei, independente de estarem exercendo outra atividade, não podendo por tal motivo se eximir dessa convocação.

1.    Conseqüências para a família

As exigências da profissão não ficam restritas à pessoa do militar, mas afetam, também, a vida familiar, a tal ponto que a condição do militar e a condição da sua família se tornam estreitamente ligadas:                                                                                        

-   a formação do patrimônio familiar é extremamente dificultada;

-   a educação dos filhos é prejudicada;

-   o exercício de atividades remuneradas por cônjuge do militar fica, praticamente, impedido;                                                                                         

-  o núcleo familiar, não estabelece relações duradouras e permanentes na cidade em que reside, porque ali, normalmente, passará apenas três anos.

 

 

CONHEÇA OS TÓPICOS QUE SERÃO ABORDADOS NESSE CURSO - CLIQUE AQUI